Better Companies

A Conciliação Família-Trabalho é hoje cada vez mais fundamental na elaboração de uma estratégia de Responsabilidade Social Corporativa pelo seu impacto na comunidade e noutros stakeholders, para além da influência nos próprios trabalhadores das organizações, contribuindo assim para uma sociedade mais justa e aumentando o bem-estar e a qualidade de vida.

A BeFamily está associada ao ICWF – International Center Work and Family do IESE Business School – Universidade de Navarra, fundado e dirigido por Nuria Chinchilla, investigadora e pioneira em temas de conciliação, a fim de promover a Responsabilidade Familiar Corporativa (RFC) nas empresas e deste modo dinamizar lideranças, culturas e políticas de flexibilidade que facilitem a integração da vida profissional, familiar e pessoal dos homens e das mulheres que trabalham nas organizações.

bettercompanies
O índice IESE FAMILY-RESPONSIBLE EMPLOYER INDEX analisa o nível de implementação da Responsabilidade Familiar Corporativa e o seu impacto nas pessoas e na organização.

Objetivos

  • Fomentar a Responsabilidade Familiar Corporativa.
  • Promover a liderança flexível e responsável que favorece o compromisso e o desenvolvimento familiar e organizacional.
  • Dinamizar a adoção de políticas flexíveis que potenciem a orientação ao cliente.
  • Facilitar as ferramentas e o diagnóstico necessários para criar contextos flexíveis e enriquecedores.

Impactos positivos da RFC

Na empresa:

  • Ambiente de trabalho
  • Menor rotação não desejada
  • Redução do absentismo
  • Incremento da produtividade
  • Maior competitividade
  • Maior grau de compromisso entre desenvolvimento e produtividade na organização.
  • Redução do nível de stress das pessoas na empresa.
  • Redução dos custos derivados de rotação, absentismo e baixas laborais do pessoal.
  • Melhoria da imagem pública da organização ante clientes externos e internos.
  • Incremento da produtividade e competitividade empresarial.
  • Maior facilidade nos processos de melhoria contínua.
  • Redução de custos de controlo das pessoas e direção por objetivos.
  • Melhoria da cultura empresarial e incremento da confiança mútua.
  • Participação das vantagens oferecidas por diferentes entidades – locais, privadas,
    estatais ou comunitárias às empresas familiarmente responsáveis.

 

Nas pessoas:

  • Motivação do colaborador
  • Identificação com a empresa
  • Compromisso
  • Saúde
  • Orgulho de pertença
  • Atratividade
  • Aumento da autoestima e dos níveis de motivação por pertencer à empresa.
  • Redução dos custos familiares.
  • Redução de stress e do número de baixas laborais.
  • Maior grau de imunidade frente a infeções e doenças.
  • Maior satisfação interior pela conciliação da vida laboral, familiar e pessoal.
  • Maior compromisso com o trabalho num ambiente mais saudável.
  • Menor sentimento de culpabilidade por não poder estar com os filhos
    ou não exercer melhor a parentalidade.
  • Incremento do fator de empregabilidade e melhor desenvolvimento 
    na trajetória profissional.